quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

A fome, mata?!



Será que a fome, mata?!


Nada mata tanto os prazeres do sexo, da paixão, do amor, que a rotina. O trabalho, o frio, os afazeres domésticos... tudo junto, leva a semanas de fome... fome de nos beijarmos como loucos, de acariciarmos um ao outro... de namorarmos!

Este dia de S. Valentin há que colocar o sexo em dia - e assim foi!

Algum tempo sem "namorarmos", parece que se cria uma barreira entre nós... Foi então que pedi ao Adão, para me massajar o corpo... nada melhor para criar um ambiente de paixão, que sentir a nossa pele a tocar-se.

Massajou-me o corpo todo, a partindo das costas.... os braços, pernas, descendo até aos joelhos, mas evitando os genitais. Depois beijou-me a boca, de uma forma sôfrega. Acariciou-me o peito, chupando-me os mamilos e massajando-os com as mãos. 

Foi percorrendo todo o corpo, lentamente, dando atenção a cada recanto do corpo. 

Com as pernas escancaradas e a vulva aberta e bem húmida, apetecia-me dizer-lhe com todas as letras:

- Chupa, chupa... com força... coma a tua c...! è toda Tua!

Eu perco toda noção quando estou excitada... Eu viro uma pt, subo pelas paredes de tanto tesão. Fico louca!

Por vezes sinto vontades, desejo fazer umas loucuras e ser como uma pt. Gosto disso, de foder e ser chamada de nomes. 

Acho que todas as mulheres gostam de vez em quando aquele amasso bem forte, de sexo animal, que faz esquecer todos o pudores.

Depois, quando o tesão passar, eu volto a mulher delicada, e dedicada!

Continuando... 

Eu comandava tudo; O Adão masturbava o meu clitoris ao mesmo tempo que entrava com um dedo na minha c... e outro na entradinha do meu cu. O tesão era tanto... o dedo não era muito comprido... eu queria que me enterra-se mais fundo... ele movia-o dentro de mim, como se procura-se cada saliência que existe dentro da minha vagina. Eu queria mais, e mais... e mais... 

O desejo era tanto, a paixão era louca... Ele penetrava devagar o meu rabo... mas a certo momento, o tesão era tanto que enterrou-me os dois dedos até não dar mais... um no rabo, outro na c...

"Assim vou-me vir", grunhia eu, mexendo cada vez mais o quadril.

Podia ter-me posto de quatro, para que o Adão me penetrasse como se eu fosse uma égua... Mas estava tão bom... estava a adorar ser penetrada com os dois dedos, ao mesmo tempo que nos íamos mordiscando nos lábios...  Ambos estávamos a adorar! 

Olhamos um para o outro; Gemíamos como loucos e foi assim que tivemos um orgasmo ao mesmo tempo!

Caímos inanimados ... apenas com forças para um "amo-te muito, meu amor"!

Fazer amor, é isto... 



Beijos!



segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Natal



O ano está quase a terminar... mais um que chega ao fim. 


Foi um ano de alegrias, algumas tristezas... realizações. O mais importante é estarmos juntos... continuarmos-nos a amar... continuarmos a ser felizes; e acima de tudo, continuar  a apoiarmos-nos para percorrermos este caminho juntos.


Deixemos o Natal entrar pela Janela e ocupar o nosso coração.
Deixem a alegria do ano novo, vir.
Vamos, deixem a Felicidade tomar conta de vocês.


A vocês que durante todo ano nos acompanharam, foram nossos seguidores, estes são os nossos votos de uma feliz época natalícia. Que o ano novo, venha cheio de grandes realizações, sucesso e prosperidade.

Boas Festas! ...pelo corpo todo!

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Thank you



Imagem relacionada









Chegou o frio... com ele vieram os vírus...  Ora um, ora outro... doentes ... com grande apetite ... Mas, sem forças para umas "noites" escaldantes de amor.Por esse motivo temos andado mais desaparecidos... 

No entanto, não podíamos deixar passar o marco das 10.000 visualizações ... Obrigado por nos seguirem!!! A vossa leitura... os vossos comentários e ...  Também as prendinhas que nos têm enviado para o mail (sejam elas fotos, video ou meramente umas deliciosas palavras e/ou convites), deixam-nos em êxtase... Tem sido o nosso Pornhub :) e com grande vontade de...

Vos presentear:






Beijinhos... e continuem a acompanhar-nos. 



domingo, 13 de novembro de 2016

Dia de Chuva

Domingo, 8 da manhã;
Acordámos com a chuva forte que se fazia sentir na rua.
Sabe tão bem nestes dias, estar deitadinha, enroscada na pessoa que amamos.

Ontem tínhamos estado a ver os vossos comentários no nosso blogue (aos quais vamos responder... mas estávamos muito cansados)... e a par disso, vimos também a nossa caixa de correio... Ficámos deliciados com as fotos que nos enviaram ... O tesão instaurou-se, mas a exaustão foi maior... caímos não por terra... mas mesmo no "vale dos lençóis".



Mas... ontem de manhã,

Olhei para o Adão e perguntei-lhe:
- Já não tenho sono, o que vamos fazer?
- Não tinhas dito que tinhas umas roupas para passar a ferro! (Adão)

Ele sabia o que eu queria dizer, e estava a fazer-se difícil, por isso fui direta ao assunto; Já andávamos há algum tempo em jejum, pelo que o corpo e a alma, andavam a pedir misericordiosamente por sexo.

- Podíamos ir fazer amor, disse eu.
- Apetece-te, é?! (Adão)
- Sim, apetece-me sentir-te dentro de mim.

Enquanto dizia isto, percorri-lhe o corpo com a mão, e fui direta ao pénis. Estava duro como uma rocha!

- Já estás assim?; disse eu.
- É o que tu provocas. (Adão)
- Deixa-me ver.

Arredei os lençóis, se saquei-lhe o pénis para fora dos boxers. Sem que ele tivesse tempo para mais nada, coloquei-o na boca.

Ele não estava a espera... ficou sem palavras, sem fôlego. Lambi-lho bem devagarinho, como se estivesse a saborear um gelado. Olhava-o nos olhos... para o provocar ainda mais. Ele estava a ficar doido...  "ui"; "Ai"... "sabes mesmo o que estás a fazer!"; "és perfeita!"...

Ele, como eu disse que o queria sentir dentro de mim... disse-me para parar, senão não ía aguentar muito mais tempo.
Para apimentar mais um bocadinho a coisa ele pediu-me para me masturbar enquanto passavamos os olhos por uns filmes com bolinha...
Ele delira ao ver-me masturbar.

- "Quero ver-te a masturbar esse papão de c..., carnudo", diz ele.

Passados breves minutos, eu já não via era nada... já revirava os olhos e mordia os lábios.

- Já estás assim tão excitada? (Adão)
-  Vê, disse eu.

Eu já escorria... queria-o dentro de mim, o mais rápido possível.

Lambuzou as mãos todas, ao passá-las pela vulva. Virou-me de costas, e começou a roçar a pontinha do pénis, enquanto eu lho apertava com as nádegas. Enterrou-me a pontinha... mas eu queria-o todo.

-Enterra-me mais; quero-o todo! - dizia eu.

Ele dá acedeu ao pedido... É bom demais. Podíamos ficar ali o dia todo. É um momento de grande cumplicidade, de grande união e paixão.

- Estas coxas e este rabinho tão delicioso, deixam-me louco; é mal empregado, estar aqui sem trabalhar. diz ele.

Pegou no vibrador, um pouco de gel... e começou a explorar o buraquinho do anús, enquanto me dava umas estocadas na vagina.

Comecei a delirar... a ficar sem controlo. Ele aumentava o ritmo, estucava-me cada vez mais rápido e mais forte, ao mesmo tempo que me penetrava o anús com o vibrador.

"Imagina que estás a levar com dois ao mesmo tempo"; "É um preliminar, para o novo brinquedo comprei";-  diz ele.

Como devem imaginar, viemos-nos passados breves instantes... A paixão era muita.

"Amo-te muito, meu amor";

 ... dissemos um ao outro, ofegantes e exaustos.






sábado, 15 de outubro de 2016

O filme

Andamos um pouco parados... Diria mesmo cheios de fome... Mas a vida é mesmo assim... A vida não é só cambalhotas... 

Mas pelo menos um tempito para relembrar alguns momentos ainda temos... Enquanto aguardamos por uns momentos mais descontraidos...  E deliciarmo-nos com um belo banquete :-) 



Nós gostamos de pornografia - É a verdade, para quê negar. 

A maior parte das vezes, e porque é fácil, vemos pequenos vídeos no PornHub, ou outros sites, porque não é preciso fazer downloads.

Mas, mesmo assim, podemos demorar algum tempo até encontrar alguma coisa de jeito. Em termos de categorias, gostamos de vídeos com brinquedos sexuais, lésbicas, e trios. Gostamos de ver uma mulher a ser bem "comida", com tudo o que tem direito. Uma boa vulva, bem carnuda, também nos faz ferver o sangue. 


Mas mais que ver estes filmes... o excitante é comentarmos as cenas, darmos a nossa opinião sobre os atores e retirarmos também algumas lições :).



Então se gostamos de ver... porque não fazer?!

A Eva, sabe que eu adoro vê-la a masturbar-se ... e eu sempre lhe sugeri que fizesse um pequeno filme para depois vermos os dois. 

Como amante apaixonada, um dia que eu tinha saído de casa durante o dia... resolveu produzir uma pequena sequela.

Cheguei a casa, e ela tinha alguns brinquedos espalhados pelo sofa, e a maquina fotográfica em cima da mesa. Eu vi aquilo, e imaginando mil e uma coisas, perguntei o que estava aquilo ali a fazer.

Ela, meio sem jeito, respondeu que esteve a divertir-se... que teve uma vontade enorme de fazer amor... mas como eu não estava... 

- Vê, o resultado de não estares cá! - Diz a Eva, apontando para a máquina.

Eu fiquei logo com um tesão desmedido... o facto de ter feito um filme para mim, e a curiosidade, deixou-me logo louco de desejo.

Sentei-me junto dela, que estava com um robe muito curto, deitada no sofá.

Começámos a ver o video. 

Ela tinha estado a ver filmes na internet... deitada no sofá... ia masturbando-se á medida que encontrava algum filme que lhe agradasse... 

Abre ligeiramente as pernas começa por massagear o clitóris suavemente. Conforme vai ficando mais excitada, aumenta a intensidade da massagem no clitóris... aumenta os movimentos... começa a tocar toda a vulva com o dedo médio, desde a entrada do orifício vaginal até ao clitóris.

E eu, ao ver aquilo ... cada vez mais ... com um tesão desmedido...

Ela brinca na entrada da vulva... chupa dois dedos e penetra aqueles lábios que escorriam de tanta vontade. Que loucura... de mulher!

Pelo meio acariciou os seios... beliscava suavemente os mamilos.

O clitóris e os pequenos lábios estavam inchados... estava muito excitada.

Foi lindo de ver, a Eva a revirar os olhos... gemia... contorcia-se toda.


Bom,
Mas como devem calcular... não consegui continuar a ver o filme... 

Baixei as calças... os boxers... agarrei na mão dela para que sentisse como eu estava cheio de tesão. Tirei-lhe a roupa e vi que tinha o fio dental encharcado. Pequei na mão dela e fiz com que se masturbasse para eu ver. Não há nada que me excite mais! 

Segundos depois... abocanhei-lhe a vulva... estava com um apetite voraz. Lambi... Lambi... até ela ficar com espasmos no corpo todo... 

Parei um pouco... e enquanto lhe beijava os seios, o pescoço, as orelhas, ia-lhe dando pequenas pancadas com a mão sobre a vagina. Ela gemia... chamava-me nomes.

Ela escorria de tanta excitação... Levantei-lhe as pernas, coloquei-as sobre os meus ombros ... peguei no meu pénis ... Enterrei-lho bem fundo... Até ficou sem respiração. Socava-a bem fundo, gemendo ela cada vez mais alto.





Mas,
ela merecia um bombom, pela surpresa que me tinha feito :)

Quando senti que ela estava quase a explodir, parei tirei o pénis de uma só vez.

Abri-lhe as pernas, lambi-a, chupei-a... até se vir... Delirou... "Ai foda-se" Disse ela... e caiu para o lado de tanta excitação.

Amo-te, Eva.

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Junto do Rio

Alguns dos momentos de prazer, marcam-nos para o resto da vida. Um desses momentos, foi quando fizemos amor junto ao rio.

Já conhecem a nossa história, como tudo começou, e como se desenvolveu |A nossa história|.

Hoje relembramos uma das nossas aventuras de há alguns anos, pois foi uma das que mais nos marcou. 

Marcamos mais um encontro... era mais forte do que nós; não conseguíamos estar muito tempo afastados. Era verão, estava calor, e como tal lembrei-me de lhe fazer uma surpresa - um piquenique à beira rio. 
Pensei em tudo; fiz massa como bifinhos e cogumelos. Velas, e um coração gigante feito em arame, encoberto em material ensopado em gasóleo. Parece ridículo, mas leiam...

 Eu tinha um carro que andava por cima de toda a folha, e como tal, encontrei um sitio bem longe da civilização, à beira rio, para o piquenique. Chegámos ao local... Apreciámos o cenário com a pouca luz do céu, estendemos uma coberta ... velas acesas... hummm, delicioso.

Comemos o manjar que tinha preparado... Por acaso até estava bom :) ... Os olhares trocavam-se... as palavras eram de paixão e desejo...

Acabado o jantar... venha a sobremesa. Peguei no coração gigante (vinha no tejadilho), e lanceio à água (tinha também colocado bocados de esferovite, para não ir ao fundo). Pequei no isqueiro e aticei o fogo. Ficámos ambos deliciados... Na penumbra da noite, ouvia-se a agua a correr, os sapos a cantar e via-se o coração flamejante a boiar rio dentro (durou foi pouco - ardeu depressa). 

Era um ambiente super romântico. A paixão brotava em nós; olhávamos um para o outro; despíamos-nos só com o olhar. Estava uma noite linda, havia estrelas... Um beijo puxa outro, um amasso, um sussurro no ouvido... estávamos prontos para ter uma noite escaldante de amor. 

Por mim, tínhamos ficado mesmo por ali, fora do carro, a namorar... Mas ela, sempre com mais medo de sermos vistos, preferiu ir para dentro do carro. Fomos os dois para o banco da frente, do lado do passageiro. Sentada nas minhas pernas,virada para mim, começamos a beijar-nos como se não houvesse amanhã. 


As nossas mãos apertavam o corpo um contra o outro. Passei as mãos pela costas descendo até às coxas; vi os olhos dela a fecharem. Fui-lhe acariciando com muito carinho as coxas, alternando com movimentos bem perto da vagina. Ela enlouquecia... arqueava o corpo todo para traz, para cima do tablier do carro. Foi uma imagem que jamais me sairá da mente… A luz das estrelas a bater-lhe no corpo desnudo; pude ver a beleza que há muito eu queria ver.

Seios pequenos e pontiagudos, com bicos para cima; Podia-lhe acariciar as pernas, a barriga, os seios, a coluna… a vagina. A tortura era tão grande para mim quanto para ela. Foi como atear o gasóleo ao coração – era um fogo intenso. 

Agora eu massajava o clitóris, olhando-a nos olhos. Ela sabia que eu desceria para beijá-la. A minha língua descia para a virilha e voltava para os lábios carnudos … chupava com vontade o clitóris, que agora já estava durinho e exposto. 


Ela queria brincar com meu pénis na pontinha da vagina, agora mais encharcada do que nunca. E assim fizemos, esfregávamos-nos um no outro, quase até nos virmos. 



Ela estava encharcada... pegou no meu pénis e enterrou-o bem fundo… cavalgou-me, de forma provocadora, olhando sempre profundamente nos meus olhos. Ela gemia, revirava os olhos, mordia os lábios… Foi lindo vê-la cair encostada no meu peito, no fim de gozar, com o pénis ainda duro, dentro dela.



Foi bom, muito bom… Mas o melhor foi vê-la “arqueada, com o corpo todo para traz, (para cima do tablier do carro), com a luz das estrelas a bater-lhe no corpo desnudo;

Seria uma boa aventura a repetir...

I love you!

terça-feira, 20 de setembro de 2016

A sessão fotográfica...


Tal como referimos aquando da colocação do último post... Nessa noite adivinhava-se muita folia. Andávamos esfomeados, com as hormonas a saltitar ... Com muita vontade do contato pele a pele, de sentir o nosso corpo a explodir.

Motivados pelos vossos comentários, e pelas fotos de alguns blogs que seguimos... Eles sabem quem são ;-) ... Queríamos fazer uma sessão fotográfica, pois além de adorarmos fotografia, gostamos de ver mais tarde o resultado e comentar.






Tudo preparado... Cartão na máquina, bateria carregada... Lingerie pronta para vestir... Eis então que surge a ideia de primeiro irmos ao baú, ver fotos já tiradas durante todos estes anos de paixão que temos vivido. 





A ideia era aquecermos um pouco... Pois com as hormonas excitadas as fotos ficam mais sensuais, e estamos abertos a pouses mais ousadas, divertindo-nos muito mais. Lá começámos por ver fotos e clips de video que fizemos... Algumas já nem nos lembrávamos delas (como por exemplo esta)... "digam lá que não tem umas costas lindas"?!

Bom,
este post, sou eu (Adão) que o vou escrever e dedicar a esta mulher única... Única pois num único Ser tenho uma companheira, uma dona de casa, uma amiga, uma confidente, uma amante e uma "putinha - a minha putinha". Não poderia pedir mais...
A Eva é uma mulher sexy... aquela que uma pessoa se apaixona, aquela que nos deixa doidos, aquela que pelo menos por um momento nos deixa com vontade de ter uma vida a dois.

E quando digo “sexy” não é só uma questão do corpo, mas também uma questão de essência. Sexy, não apenas no rabo, no peito, nas pernas, na boca - “sexy” porque sabe provocar, ser delicada, ser elegante. 

Já a canção dizia Uma lady na mesa, uma louca na cama... comportada na rua e um mistério na cama.

Não acredito que exista relacionamentos perfeitos, mas acredito em relacionamentos completos, onde não há falta de amor, paixão e compreensão. Um relacionamento sério vai muito além do que um status no facebook, ou uma aliança no dedo... para este existir é necessário respeito, tempo para com o outro, lealdade, cumplicidade, diálogo, presença, e muita paixão e amor. 

A nossa relação tem tido tudo isso, e à medida que o tempo passa todos esses fatores ficam mais presentes, mais intensos. E isso deve-se, embora também a mim, mas essencialmente a Ela (Está sexy, na foto ao lado, não está?!).

Eva é uma mulher para a vida. É linda. É completa. 

Os anos passam ... mas está cada vez mais bonita, mais gostosa ... mais arrojada. 

As fotos estão colocadas por ordem cronológica, e como vêem... ela está igual. Linda, desejada, charmosa e sensual. Alucina onde passa.

Com o nosso blog, e os vossos comentários, a nossa relação "no quarto", é cada vez mais torrida... Ela está mais solta, mais ousada... mais "putinha-a minha putinha".

O que antes era impensável, agora é provável... ela faz-me muito feliz... satisfaz todos os meus desejos e pensamentos... 

É isto que também faz sobreviver as relações neste constante estado de guerra, que o dia a dia nos leva a estar (horários, transito, trabalho...). Sem dúvida que ter uma mulher (ou um homem, consoante o caso) que nos deixe completamente saciado, em todos os sentidos, é o caminho para nunca se saltar a cerca - porquê procurar fora, o que se tem em casa?!?






Digam lá que ela não é deliciosa?!
Perco-me nesta pele e no seu lindo corpo nu...





Mas,
continuando o relato do episódio da sessão fotográfica... 

Bom as fotos eram mais que muitas, os vídeos eram pura loucura... Os gemidos dela durante a relação sexual, são capazes de enlouquecer qualquer homem... Junto com os gemidos, ela utiliza expressões faciais loucas, palavrões e expressões do corpo que parece que vai explodir... 







Estes vídeos tinham muito disso... por isso, imaginem como ficámos cheios de tesão! ... Lá se foi a sessão fotográfica com a nova lingerie, por agua abaixo!









Ela olhou-me nos olhos, colou o lábios aos meus, sugando-os com tesão e paixão. Foi um beijo de tirar o fôlego. 

Tirou as cuequinhas e virou-se de costas - "roça-o entre as minhas coxas" diz ela. 
Ela suspirava e roçava-se toda nele. 

Eu, beijava-lhe os ombros, a nuca, as orelhas... deslizava os meus lábios sobre aquela pele sedosa e macia. Ela suspirava mais alto. 

A vulva escorrendo, intensamente lubrificada. Não imaginam como é linda aquela vagina... é uma visão de outro mundo - lábios carnudos, suculentos... ... ... è melhor nem continuar, que fico logo louco só de pensar. 

As minhas mãos escorregavam pelas coxas, até as nádegas firmes. Abri as coxas o máximo que pôde, e encostei o meu pénis, naquela vagina extremamente lubrificada e cheia de tesão.

Ela delirou, contorcendo-se por baixo do meu corpo, querendo ser penetrada profundamente. Como se fossemos um só corpo.

Ficamos nisto durante algum tempo... era bom demais!

Depois, eu penetrei-a com uma estocada profunda, tirando-lhe o fôlego. Ela comprimia a vagina no meu pénis com toda força. Gingava os quadris, movendo-os... implorando para me montar.

Eu chamei-lhe tudo quanto é nomes... obrigava-a a dizer palavrões... a dizer loucuras que me vinham à cabeça... e quando não obedecia puxava-lhe o cabelo, chamava-a de nomes e dava-lhe uma estocada bem funda.

"Que loucura! Mais forte, mais..." dizia ela! Movia os quadris, pressionava-me o pénis, fazendo-o ir mais fundo. Parecia uma Loba no cio. 

Lubrifiquei o polegar, e com o pénis semi-enterrado, meti o dedo junto daquele buraco do rabo apertadinho que ela tem. Ordenei-lhe que o enterrasse no cú. Ela assim fez... Ficou ainda mais louca... 

"Enterra mais um pouco", dizia eu... puxando-lhe o cabelo, para ela ver "quem manda".

Disse-lhe para se tocar com o dedo dela... era uma imagem que sempre imaginei na minha mente.. e queria vê-la a tocar-se no rabo... Mas a malandra queria era montar-me, e depois de tanto implorar... lá acedi (mas não pense ela que se escapa ;) ).

Subiu para cima de mim... galopava, como uma Fêmea no Cio, louca e apaixonada! Eu correspondia, estucando com força. 

O meu pénis estucava fundo, enquanto ela o cavalgava; as minhas mãos apertavam os seios, excitados e durinhos... Suguei-os e mordi-os até ficaram vermelhinhos da cor de cerejinhas bem maduras. 

"Não aguento mais", diz ela... 

O nosso coração dava pinotes dentro do peito... Estremecendo e gozando sem parar ficámos unidos num abraço apaixonado.

Amo-te cada dia mais, minha "Eva".

sábado, 17 de setembro de 2016

Hotel Fenix, a continuação

Bom,
a pedidos de muitos, e porque também queremos muito contar-vos, e como se adivinha folia para hoje,aqui vai a continuação desta viagem ao Porto.

As mãos dele começaram a acariciar as minhas pernas; os seus dedos penetraram na minha vagina; batia-me no meu clitóris. Estava "bruto" :) ... Mas gemi de prazer.

Subiu até o meu ouvido e disse-me:

- Quero a tua boca em mim.

Iniciámos um belo de um 69. 
Meti o pénis na minha boca, até sentir a sua glande no fundo da minha garganta. Eu mal respirava.
Continuamos assim, durante um tempinho... cada um a desgostar o seu "aperitivo".

De repente ele parou de me penetrar a vulva com a língua, e disse-me:
-Pára... Vamos ali para a varanda;

Eu acedi, pois estava demasiado excitada para negar fosse o que fosse.

Pegou em mim ao colo, e sentou-me sobre o parapeito da janela. Luz apagada, só com o brilho do luar a bater em nós, abriu-me as pernas, e devorou a minha vulva (quando digo devorou... é mesmo devorar). Aquela sensação de que podíamos ser vistos, pelo hospedes do lado, ou por pessoas de outros prédios, fez com que parecêssemos loucos, com tanto desejo. Eu desejava toca-lo, arranha-lo, cravar as minhas unhas.

No meio de tanto tesão, passado algum tempo, tirou-me do bordo da janela, virou-me de costas para ele, e encostada contra a janela, enterrou-me aquele pénis teso e palpitante.

Só conseguiu penetrar-me uma única vez... eu estava completamente melosa, a minha vulva palpitava ao ritmo do bater do coração... apertava-lhe o pénis com força - Não teve qualquer chance - Gozou instantaneamente!

Eu continuava louca de paixão... o "sofrimento" era muito... ficar ali, sem gozar.

Ele, como sempre, não é de me deixar naquele desespero... levou-me para a cama e continuou com as brincadeiras, até recuperar o "fôlego".
Recuperado, fez-me gemer de tesão, de prazer. Eu continuava em chamas, e sentia-o bem rijo, todo dentro de mim. Entrava e saía, de forma barbara.
O meu orgasmo foi muito intenso; mordi os lábios, o meu corpo estremeceu. Caí desfalecida, de tanto cansaço.

Ele beijou-me, deitou-se ao meu lado e disse:
- Amo-te cada dia mais!

Pela manhã, já com o sangue à temperatura normal, apenas tínhamos receio que alguém tivesse visto, filmado, ou uma verdadeira multidão estivesse estado a ver.

Mas,
sem dúvida valeu o risco. Foi bom demais! Recomenda-se!

domingo, 11 de setembro de 2016

Hotel Fenix, Porto


Adoramos a cidade do Porto, e como tal, fomos a mais um passeio pelas ruas e ruelas desta cidade maravilhosa. Ficámos hospedados no Hotel Fenix, que fica bem localizado para se poder andar a pé, a percorrer os sítios mais emblemáticos.




O hotel é muito bom. O nosso quarto tinha uma vista fantástica, pois tinha uma varanda que sai da estrutura do edifício (fixem este pormenor, que é importante, para esta história).

Durante o dia, passeamos pela cidade, fomos até à Ribeira comer uma francesinha; um passeio de barco... Foi um dia em pleno.

Chegados ao hotel (à noite), já um pouco cansados, tomamos um duche para repor as energias. Deitados sobre a cama, a televisão a dar telenovelas... a pergunta impôs-se - " quarto espectacular, e não vai haver festa?"

Bom,
olhámos um para o outro, com desejo estampado nos olhos. Uns beijos de tirar o fôlego, um passar de mão bem forte pelas coxas e pelo rabo... Mamilos bem durinhos, que quase rasgavam a camisola (era a única coisa que os tapava). Arrancou-me a camisola;

Segurou-me os seios, apertou os meus mamilos entre os dedos, deslizou as mãos sobre minha a barriga e forçou-as entre as minhas pernas. Apertei as pernas para o provocar.

- Abre essas pernas ... Quero beija-las, diz ele.
- Não! Provocando ainda mais.

Desceu até aos meus pés; pegou e abriu-me completamente.

- Não adianta resistires; já sabes que assim que eu colocar a minha boca nesses lábios, ficas á minha mercê; vais fazer o que eu quiser!

Completamente dominada pelas palavras, com as minhas pernas abertas e a minha intimidade totalmente à mostra, resolvi deixá-lo fazer o que queria de mim.
Colocou a boca sobre minha vulva; fez-me logo estremecer. Mordeu as minhas coxas e pernas, sugou e mordeu o meu clitóris (parecia que saia do meu corpo); penetrou-me com a língua quente por entre os pequenos lábios.

Bom,
o resto fica para a vossa imaginação,

ou querem que continue o relato?

Beijinhos



sexta-feira, 2 de setembro de 2016

O Escolhido - Um, dó, li, tá,...


Um, dó, li, tá, cara de amendoá, um segredo colorido, quem está livre?



O escolhido


Alguns postes atrás, a "Eva" partilhou a sua coleção de brinquedos. Logo após isso, com o entusiasmo da partilha, e dos comentários feitos... proporcionou-se uma noite de luxuria. 

Uma passagem de olhos pelo nosso blog, respondemos a uns comentários; vimos também o blogue do Bunny/Candy, e do Casal Nortada e começámos a ficar entusiasmados. 
Então, porque não brincar um pouco com um dos brinquedinhos!? 

Então lá escolhemos um. Uns beijos molhados, um passar de mão por aqui e por ali...eu,  Já sem fio dental..., o "Adão" começou por brincar com o vibrador, bem devagarinho no clitóris. Para ajudar na lubrificação, ia passando o vibrador na vulva, já ela toda melosa. 
Ao mesmo tempo íamos assistindo a um filme, onde dois grandes homens penetravam um moça, (bem gostosa, por sinal) - com tudo no lugar. Comecei (Eva)  a ficar extremamente excitada.
Tinha dito ao Adão, que hoje não era para ele me lamber... era só com o vibrador.
Mas... ao ver-me a revirar os olhos,  a mexer o quadril ... sem eu dar conta, introduziu-me a língua na copula do clitóris. Ele sabe como me dar a volta.
A partir desse momento, fiquei fora de mim... Tudo o que me pedia, eu aceitava... estava louca de desejo. 

Implorava para parar, pois queria senti-lo dentro de mim...  Queria ser penetrada! Mas ele, não parava... lambia-me mais... batia-me na vulva... sugava-me os mamilos, dava-lhe pequenas pancadas; mordia-os com força ... eu deixava, queria mais; estava louca de tesão.

Foi então que ele olhou para mim fixamente, como que a pedir autorização... meteu lubrificante no meu ânus... e penetrou-me com o dedo indicador... Eu (diz ele, pois eu estava fora de mim, para me lembrar), fiquei ainda com mais tesão ... o vibrador desapareceu dentro da vulva... o dedo dentro do rabinho e a língua no meu clitóris... Não ía aguentar muito tempo...

Então ele sugeriu brincar com o pénis no rabinho... eu queria-o dentro da  minha vagina, sentir aquele pénis duro a penetrar-me até as entranhas, com força... 

Mas, o desejo era tanto, que acedi ao pedido... Monteio-o para ter mais controlo da situação... Foi então que devagarinho, o tesão sobrepôs-se ao medo, e lá entrou a cabecinha no meu rabo... 

O desejo era muito, o tesão ainda maior... cavalgava roçando a vulva nele, com o vibrador enterrado na vulva, enquanto me penetrava a entrada do anús... 


Eu gemia, dizia palavrões... estava descontrolada... "Foda-se... Fode-me, Fode-me toda, não pares...... Estou quase a vir-meeeee"... ele chamava-me nomes, dava-me palmadas daquelas de deixar marcas, torcia-me os mamilos; Eu delirava de tesão...

Gozei, nuns meros 10 a 15 segundos... Ele acompanhou-me, implorando para penetrar o pénis mais uns milimetros... Eu acho que acedi ao pedido... e veio-se no meu ânus... 

Caímos os dois, todos besuntados; o sémen escorria-me por entre as coxas... exaustos... mas muito, muito felizes.

Pode-se dizer que foi a primeira experiência anal entre duas pessoas que se amam... Foi bom para os dois. Quem sabe no futuro, não avançamos um pouco mais. O que acham??

Beijinhos e abraços! 









terça-feira, 23 de agosto de 2016

Será que foi desta?!


No nosso último post | Cereja no Topo do Bolo |, muitos foram os comentários, com opiniões e narrações de experiências. Com tanto incentivo, é impossível não realizar este pequeno fetiche. 



Durante o fim de semana, tínhamos andado nos amassos… beijos daqueles bem tórridos, um passar de mão pelo pénis, pela vagina… um rossar um no outro quando nos cruzávamos… andávamos cheios de tesão um pelo outro.

Este domingo, almoçámos um bom arroz de marisco (feito cá pelos chefes), a acompanhar um bom vinho rosé, bem fresquinho, e para sobremesa um belo de um gelado.

Quando estávamos quase a chegar à fase da sobremesa, como provocação, Adão – Sim Adão…


Como sabem Adão e Eva viviam no Jardim do Éden. Eles receberam a tarefa de cultivar e proteger o Jardim, sendo que a única coisa que não podiam fazer era não comer da árvore do conhecimento.

Reza a lenda que não resistiram e comeram da árvore, o fruto proibido.

Ora, já conhecem como começou a | nossa história |... acaba por ser algo semelhante; duas pessoas que acabam por se conhecer e não resistir à tentação; provam o fruto proibido e daí nasce um grande amor. 

Como tal, por que não usar como pseudónimos "Adão" e "Eva", até para ser mais fácil a narração das nossas histórias. O que acham?




Mas continuando,

Enquanto saboreávamos o belo vinho, diz-me o Adão “e para a sobremesa, o que há?”.


Gelado!, disse eu. “Pensei que eram cerejas”, diz ele, com aquele olhar maroto de quem me quer comer. 

Após aquela refeição, eu disse-lhe que uma "cavalgada", ainda dava era uma indigestão (deixemos mais para logo).

Já meios turvos por aquele néctar fresquinho, fomos lavar a louça – e já sabem - mais uns carinhos, uns beijos melados.

Depois fomos continuar a ver os comentários deixados por vós, e mesmo alguns blogs amigos. O sangue começou a ferver, com o vinho, e com os relatos deixados por alguns. 

Bom, estava calor…
Meios tontos do vinho, decidimos colocar uma manta no chão da sala, e deitar-nos lá a descansar um pouco, para ver se o álcool se dissipava. Conversámos sobre a cereja em cima do bolo;
Eu disse-lhe: e por que não iniciar a experiência por começares a gozares na minha cara; depois vamos progredindo, para algo mais. 

Como andava cansada, ele propôs-se fazer uma pequena massagem nas costas, (adora as minhas costas; fica cheio de tesão a massajar a minha pele), e queria gozar nelas para tirar umas fotos e partilhar no blog. 

Eu acedi. Começou por fazer uma bela de uma massagem nas costas; depois despiu-me um pouco as calças, para aceder ao rabo (é viciado nas coxas). Massajou-me as coxas, uns toques muito leves pelo corpo (daqueles que ficamos com a pele arrepiada); 
Avançou para uns pequenos beijos molhados pelas costas, e coxas.

Bom, entretanto foi buscar a máquina fotográfica, sacou dos calções e dos boxers, e com o pénis bem duro e quente pousou-o sobre as minhas costas.

Já estávamos embalados a tirar retratos… quando a bateria da máquina… vai-se… Bom, ficou pior que estragado :) ; Mas, ele diz que já tirou algumas para o blog, e que então podemos ir descansar um pouco.

Mas,
eu já estava completamente excitada, e disse-lhe: "Estou excitada, quero-te dentro de mim". Enquanto lhe digo isto, deitada de costas, empino um pouco o rabinho, e abro um pouco as pernas, para ele ver como eu estava completamente molhada.

Despe-me os resto das calças, e começa a roçar o pénis (duro como uma pedra) por entre as minhas pernas, molhando-o de vez em quando nos lábios melados. Tão bom, dizia eu ofegante, mexendo os quadris para aquele pau duro, roçar ao mesmo tempo no ânus.

Ele estava-me a “castigar”… continuava a provocar-me fingindo que me ia penetrar… Eu já delirava, já dizia coisas sem nexo (diz ele). Foi então que coloquei a minha mão por baixo da barriga, e fui direta com os dedos ao clitóris… comecei a masturbar-me como uma louca, e disse-lhe “enterra-mo todo na cona” (estava fora de mim, pois só neste estado de loucura é que me sai tais coisas pela boca). 

Ele a isto não resiste, e enterrou-mo todo, bem fundo. Delirei… aquele membro a latejar dentro de mim (não somos adeptos de preservativo… ficamos sem tesão; gostamos de sentir a carne com carne - é o encaixe perfeito).

Começou a dar-me pequenas estocadas, provocando-me ainda mais… eu só queria que me acabasse de uma vez com aquele “sofrimento” ;) … Mete-me os dedos grossos dentro da boca para eu chupar (sugo-os, imaginando que é o membro latejante dele); morde-me as orelhas e diz-me coisas bem porcas; chama-me putinha; puxa-me pelos cabelos, e dá-me umas estocadas bem fortes e bem fundas. 
Reviro os olhos, tremo toda, digo palavrões sem fim… estou á mercê dele.

Vê-me assim, e pergunta “queres que te enterre um dedo nesse cú delicioso?”; Eu devo ter dito que sim, pois só me lembro de sentir a entrar-me pelas entranhas, e gemer, dizendo quase implorando “ enterra-moooo todo… vou-me vir”.

Agarra-me pelos cabelos, e dá-me umas estocadas com toda a força, de uma forma totalmente descontrolada e selvagem… Parecia que estávamos a ter uma ataque… foi de outro mundo, sentir o sémen quente dentro de mim. Ficámos ali os dois, por breves minutos, com o pénis dele ainda dentro de mim a palpitar... totalmente sem forças para nos levantarmos.

O amor, misturado com paixão e muito tesão… é assim!

A cereja... essa fica para a próxima, pois desta vez... foi como relatei!

Fiquem atentos, e comentem... pois é isso que nos faz ter cada vez mais relatos para vocês.
Bjinhos










terça-feira, 16 de agosto de 2016

Cereja no topo do bolo

"Cereja no topo do bolo"

Em post's anteriores, sobre o nosso sexo oral, viram que as nossas noites escaldantes, nunca terminaram com a "cereja no topo do bolo" :)...


Acham que a nossa próxima aventura amorosa, deveria ter cereja ?!? ;)



Bjos

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Não há duas sem três... O Nosso Sexo Oral | Parte 3 |

Não há duas sem três...

Que o sexo oral é bom, acho que ninguém dúvida. Mas pode ser ainda melhor (ou pelo menos diferente) se for feito em simultâneo! 


O clássico 69



Basta que se empenhem e desfrutem do momento, e garantimos que retiram daí o maior prazer, que já tiveram.

Começar de imediato com 69, não é uma boa ideia. O ideal é começarmos por uns preliminares, e depois de estarmos com muito tesão... pormos a boca na botija. 

Como dissemos anteriormente, não dispensamos uns bons filmes picantes... abrimos o site... vemos os mais recentes... "qual te agrada mais?"... "e a ti"... vamos escolhendo alguns entre centenas... variados, para não ficarmos aborrecidos... vamos avançando no tempo do filme, para as cenas que nos despertam mais tesão... vamos comentando... tirando ideias.

Quando a temperatura começou a subir... 

Ela meteu a mão por dentro do fio dental, e começou a massajar o clitóris. Eu quanto mais a via e pensava naquilo tudo, com mais tesão ficava. 

Lentamente, começo a beijar-lhe a boca. Trocamos um beijo daqueles em que as línguas se enrolam e que nos tira o folgo; Depois acaricio-lhe o peito e vou por aí abaixo. Beijo-lhe a vulva, por cima do fio dental (já estava todo encharcado), e começo a tirar-lho ... (mas não tiro :)), beijo-lhe a virilha, a parte interna das coxas... Acabo de tirar o fio dental, enquanto lhe beijo as pernas, e os tornozelos. 


Depois volto até à vagina, agora descoberta... passo a língua suavemente por toda a sua extensão, (sem meter a língua por dentro)... sugo-lhe os grandes lábios. 



Ela começa a mexer-se e a esticar-se tentando aproximar a minha língua para onde deseja (clitóris). Eu paro! 



Ela monta-me... Deita-se em cima mim, com o rosto virado em direção aos meus pés e oferece-me aquela vagina suculenta para eu comer. 

Começou-me a chupar o pénis, primeiro só a cabecinha... mete a língua no orifício junto da glande...   subindo e descendo, saboreando com a língua cada centímetro.

Eu sugava-lhe o clitóris, enquanto introduzia um dedo na vagina e outro naquele rabinho apertadinho... Hummm... Que vulva lisinha e suculenta; O clitóris, duro latejava nos meus lábios.

Solta o meu pénis, arqueia-se para traz, e como que se montasse um animal,  esfrega a vagina na minha cara deixando-a toda lambuzada; Monta a minha língua, como se montasse o meu pénis.

Ela delira, solta uns gemidos bem agudos... Diz - "Não vou aguentar muito tempo".

Volta então a meter o meu pénis na boca. Suga-o ainda com mais vontade... "vou-me vir", grita ela... Aperta-me a cabeça com cochas, o corpo dá dois espasmos, e grita "Ai fodasss" e vem-se na minha boca... 

Eu instintivamente gozo também... Mas, não... ainda não foi desta a "cereja no topo do bolo" ;)

Ficamos ali imóveis, caídos um em cima do outro... exaustos... 

É muito bom amar e ser amado!